Aos Trabalhadores do Banco de Portugal:

banco de portugaldeladoFoi assinado, pelo Banco de Portugal, um novo Acordo de Empresa com os sindicatos da UGT e dos Quadros e Técnicos ilegítimo, ilegal e lesivo dos direitos e interesses dos trabalhadores, para entrar em vigor em 2019. Este acordo agora assinado serve apenas para aumentar os lucros do Banco de Portugal (que sempre os teve), manter as benesses de quem assinou o acordo e empobrecer os trabalhadores.

Os associados do SINTAF continuarão vinculados ao actual AE em vigor, que mantém os direitos contratuais, agora retirados aos ainda associados nas outras organizações sindicais que cederam nas negociações com a entidade Patronal.

Ao que apurámos, o novo Instrumento de Regulação Colectiva de Trabalho, não só retira direitos como não observa o legislado e promove a discriminação entre trabalhadores em matéria de Saúde.

A ausência de ética, os atropelos à Lei e a promoção da discriminação alteram profundamente a imagem do Banco de Portugal do passado relativamente recente, isto é, espelham a actual Governação e Administração. A recusa sistemática de negociações sérias de um novo AE, levou a que tenhamos apresentado entretanto uma proposta de aumentos salariais de 5,5% com um mínimo de 60 Euros.

Persistimos na necessidade de estabelecer negociações sérias. Nada ainda está perdido, para assegurar e garantir os actuais direitos é necessário a adesão massiva dos colegas do Banco de Portugal ao SinTAF, única organização sindical disponível para com os trabalhadores resistir a esta ofensiva e defender os seus Direitos Laborais.

O SinTAF, encontra-se sempre disponível para prestar todos os esclarecimentos necessários, através dos contactos em rodapé.

Os Trabalhadores do Banco de Portugal, têm razões mais do que válidas para lutar pelos seus Direitos, assim o SinTAF, apela à participação na manifestação de 15 de Novembro em Lisboa promovida pela CGTP-IN, cujo lema é:

AVANÇAR NOS DIREITOS, VALORIZAR OS TRABALHADORES.

O SinTAF, vai apresentar um aviso prévio de greve para que os trabalhadores do Sector Financeiro possam participar na

MANIFESTAÇÃO NACIONAL – DIA 15 de NOVEMBRO

A ÙNICA LUTA QUE SE PERDE É AQUELA EM QUE ABDICAMOS DE LUTAR !!!

A DEFESA DO AE SÓ DEPENDE DE TI !!! 

SINDICALIZA-TE NO SinTAF !!!

Banco de Portugal: Proposta de novo AE

banco de portugaldeladoA Administração do Banco de Portugal apresentou em Fevereiro deste ano ao SinTAF, a denúncia do Acordo de Empresa, subscrito entre o Banco de Portugal e o SinTAF em 2009

Aos trabalhadores do Banco de Portugal Sócios ou não Sócios do SinTAF

A Administração do Banco de Portugal apresentou em Fevereiro deste ano ao SinTAF, a denúncia do Acordo de Empresa, subscrito entre o Banco de Portugal e o SinTAF em 2009.

Acordo de Empresa denunciado de 2009-BTE

AE-proposta (formato PDF 10 MBytes)

A proposta agora apresentada pela Administração (igual para todos e disponível em www.sintaf.pt ) representa um ataque feroz aos interesses e Direitos dos Trabalhadores do Banco de Portugal dos quais salientamos:

  • Acabam as promoções aos trabalhadores com mérito positivo em cada período de seis anos;
  • Acabam as isenções de horário de trabalho com pagamento de 2 horas diárias de trabalho suplementar;
  • Eliminação da fórmula de cálculo do trabalho suplementar;
  • Cessam as Diuturnidades da Alínea b);
  • Cessam as anuidades;
  • Cessa o prémio de Antiguidade;

São ainda alteradas dezenas de Cláusulas com o objectivo de piorar as condições de vida e de trabalho dos Trabalhadores.

O SinTAF norteia os seus objectivos na defesa dos interesses e direitos dos trabalhadores, neste caso importa ouvir todos os trabalhadores e as suas opiniões e sugestões para preparar melhor a sua defesa, pelo que, ficam por este meio convidados a participar numa reunião no Auditório do Banco de Portugal na Av. Almirante Reis no próximo dia 5 de Abril pelas 17H.

Existem condições políticas favoráveis à defesa da manutenção da Convenção Colectiva de Trabalho em vigor.

O Banco de Portugal dispõe de condições económicas bastantes para assegurar o cumprimento deste Acordo de Empresa.

Trabalhador sindicalizado está mais seguro,

… mas só no sindicato certo!!!

JUNTA-TE AO SinTAF, Defende o teu Acordo de Empresa

Acordo de Empresa denunciado de 2009-BTE

AE-proposta (formato PDF 10 MBytes)

2018 02 28 Banco de PortugalAos Trabalhadores do Banco de Portugal:

O SinTAF, conforme anunciado, levou a cabo mais uma ronda de reuniões com os Trabalhadores, com o intuito de dar a conhecer o ponto da situação relativamente às negociações em curso entre este Sindicato e a Administração do Banco de Portugal, no que toca à assinatura dum novo AE.

Após esta ronda de contactos, saiu reforçada a nossa convicção e a nossa determinação de não assinar o acordo que nos querem impor e que foi acordado com outros sindicatos do sector, que sem representar qualquer mais-valia em termos económicos, sociais ou organizacionais/funcionais, tenta retirar direitos adquiridos atacando fortemente conquistas civilizacionais e avanços sociais que se apresentaram sempre como uma mais-valia para uma entidade de referência do País.

Parece-nos estranho que o Banco de Portugal que goza de uma autonomia e independência sem qualquer paralelo em Portugal, seja a defensora desta via miserabilista, que representa um modelo de gestão de recursos humanos que consideramos indigna da instituição que servimos e dos trabalhadores que nesta laboram.

Vamos continuar a negociação do nosso AE com o objectivo claro de manutenção dos Direitos anteriormente consagrados e se possível a melhoria dos mesmos, porque o Banco de Portugal é um Regulador e não um Banco Comercial cujo objectivo é a obtenção do lucro para os seus accionistas como política principal da sua acção.

Podem os Trabalhadores do Banco de Portugal, continuar a contar com o apoio do SinTAF na defesa do que por direito próprio se conseguiu conquistar ao longo de décadas, o retrocesso que se pretende alcançar com este novo AE acordado entre o Banco de Portugal e outros sindicatos é intolerável, inquietante e incompreensível, só podendo ser analisado numa vertente ideológica e nunca numa perspectiva de Gestão.

Na Sociedade Portuguesa a discussão sobre a Legislação laboral, o fim da caducidade das convenções colectivas, e a recuperação de direitos recentemente perdidos pelos que trabalham, está novamente na ordem do dia. Estaremos inseridos neste processo de discussão pública com a mesma disposição e sentido de compromisso que nos tem distinguido e um sentido do conceito de Sindicalismo que faz de nós um Sindicato em que a razão da nossa força terá que ser a força da nossa razão.

Resistir, a estas novas investidas que visam fragilizar e dividir os Trabalhadores desta Instituição, contará sempre com a nossa frontal oposição, oposição essa mais forte e capaz quanto mais forte e capaz for a representatividade e o apoio que os Trabalhadores nos derem.

SINDICALIZA-TE NO SinTAF!

A ÙNICA LUTA QUE SE PERDE É AQUELA EM QUE ABDICAMOS DE LUTAR!

2017 10 07ptbanck 1 696x342Propostas do Banco de Portugal de Alteração do AE subscrito pelo SinTAF-Parte I

Depois da denúncia do Acordo de Empresa por parte da Administração e da resposta do SinTAF, vem o Banco de Portugal apresentar uma nova proposta.

A esta nova proposta vimos a trabalhar uma nova resposta que contemple a manutenção dos direitos nas relações de trabalho e na massa salarial auferida pelos trabalhadores.

No fundamental a nova proposta patronal insiste na retirada de direitos que facilitem a intensificação da exploração e o empobrecimento dos trabalhadores:

  • Abolição do Sábado como dia de Descanso, (regredindo mais de meio século, antes até da própria “semana Inglesa”),
  • Eliminação do Prémio de Antiguidade para os novos Trabalhadores (desvalorização a quem dedicou o seu trabalho ao Banco de Portugal, abdicando de aceitar melhores ofertas de trabalho),
  • Eliminação das Promoções por Mérito depois de permanência de seis anos com avaliação positiva (desvalorização da carreira profissional e de valorização do trabalho),
  • Eliminação das Anuidades,
  • Redução da Isenção de Horário, etc.

Não encontramos nenhuma razão fundamentada para esta persistente tentativa de eliminação de direitos, de desvalorização do trabalho e consequente empobrecimento dos trabalhadores, quer por parte da Administração quer por parte dos sindicatos da UGT, dos Quadros e Técnicos e dos Independentes, a não ser por razões ideológicas no apoio incondicional ao Capital e consequente exploração do Homem pelo Homem.

Após a retoma das negociações, iremos propor novas reuniões com os trabalhadores do Banco de Portugal para apreciarmos o andamento do processo e decidir as medidas a tomar. O SinTAF, não aceita estas propostas de retrocesso civilizacional em pleno século XXI

O SinTAF está disponível para com os trabalhadores promover as iniciativas tendentes à defesa dos seus direitos e à melhoria dos seus salários.

O SinTAF reafirma e reforça que em virtude dos colossais LUCROS obtidos, existem condições políticas e económicas, para a concretização de uma redistribuição da riqueza alcançada, através de um modelo de Contratação Colectiva justo e digno que possa ser uma referência no Sector Financeiro Português.

Pela Defesa Do AE Do Banco De Portugal!!

Pela Defesa Dos Postos De Trabalho E Dos Trabalhadores!!

Por Condições De Trabalho Dignas E Com DIREITOS!!!

ADERE AO SinTAF!

SINTAF-Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira.

Avenida Almirantes Reis, n.º 74 G - 1150-020 Lisboa

Telefone +351 218124992

Correio eletrónico: sintaf@sintaf.pt