NOTA À IMPRENSA

O SINTAF - Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira vem dar conhecimento aos vários órgãos de comunicação, que ao abrigo do aviso prévio de Greve do SinTAF para o dia 15 de Novembro, terá lugar, pelas 14h, junto á Sede do Novo Banco, na esquina da Rua Barata Salgueiro, com a Av. da Liberdade (195), uma concentração dos trabalhadores da empresa Serviços de Suporte Operacional, ACE do Grupo Novo Banco, S.A. (GNB-SSO) - que contará com a presença do Secretário-Geral da CGTP-IN Arménio Carlos, ingressando os manifestantes, posteriormente, a manifestação nacional da CGTP-IN.

Os motivos da Luta dos Trabalhadores são os seguintes:

  • Recusa pela Administração do Novo Banco o diálogo entre as partes, para negociar o Acordo de Empresa, numa atitude prepotente.
  • A Administração do Novo Banco ameaça com a externalização dos serviços e consequente despedimento dos trabalhadores, factor que, poderá causar instabilidade e contribuirá para a precariedade deste grupo de trabalhadores essenciais ao bom funcionamento do Banco e ao rating que os clientes atribuem aos serviços que o Banco presta.
  • A Externalização deste serviço aumenta os custos operacionais e não garante a qualidade nem o sigilo bancário da confidencialidade.

Assim, pelos motivos expostos, defende-se desde já o lema desta manifestação da CGTP-IN:

Avançar nos direitos, valorizar os trabalhadores.

Sem outro assunto de momento, com os melhores cumprimentos,

Lisboa, 14 de Novembro de 2018

Para qualquer esclarecimento, é favor contactar: Dirigente Rute Pires, TM 919 394 813

                                      Dirigente Nuno Matos, TM 963 452 414

NOTA À IMPRENSA

O SINTAF - Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira vem dar conhecimento aos vários órgãos de comunicação da Moção aprovada em plenário de trabalhadores da empresa Serviços de Suporte Operacional, ACE do Grupo NovoBanco, S.A. (GNB-SSO) de 3 de Agosto que se transcreve:

MOÇÃO

PELA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO E PELA NEGOCIAÇÃO DO A.E.

Os Trabalhadores da GNB Serviços de Suporte Operacional, ACE (GNB SSO), reunidos em plenário dia 03 de Agosto de 2018, debateram a actual situação da empresa bem como a proposta de Acordo de Empresa (AE) que o SINTAF apresentou ao Novo Banco, com a participação dos trabalhadores na sua elaboração.

A Administração do Novo Banco recusa-se a negociar o AE, no seguimento das diretivas contra as melhorias de condições de trabalho, como tem vindo a demonstrar através de despedimentos. Não se preocupando com os trabalhadores que são essenciais ao bom funcionamento do Banco e ao rating que os clientes atribuem aos serviços que são prestados.

A Administração do Novo Banco mantém a ameaça da externalização dos serviços, factor que causa muita instabilidade e contribui para a precariedade dos trabalhadores, que são imprescindíveis ao normal funcionamento do Novo Banco. O serviço prestado terá sempre de ser feito, que ao ser externalizado irá trazer mais gastos financeiros ao Banco e diminuição da qualidade de serviço prestada, colocando em risco a proteção de dados dos clientes.

Assim, os trabalhadores da GNB SSO, reunidos em plenário deliberam que estão dispostos a lutar por a negociação do AE e a adotar todas as formas de luta necessárias para a concretização do mesmo.

Os Trabalhadores da GNB-SSO

Sem outro assunto de momento, com os melhores cumprimentos,

Lisboa, 7 de Agosto de 2018

Para qualquer esclarecimento, é favor contactar: Dirigente Rute Pires, TM 919 394 813

 Dirigente Nuno Matos, TM 963 452 414

Antes de existir o dia já havia a luta.

As origens do Dia Internacional da Mulher remontam a 1857, a 8 de Março desse ano operárias de uma fábrica de tecidos situada em Nova Iorque realizaram uma greve seguida de manifestações pacíficas para exigir melhores condições de trabalho, direitos sociais e políticos, como consequência foram violentamente reprimidas.

Na 2ª Conferência Internacional das Mulheres Socialistas realizada em 1910, em Copenhaga, foi aprovada a proposta apresentada por Clara Zetkin de lhe dar um caráter universal.

A ONU reconheceu o Dia Internacional da Mulher apenas em 1977. Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua a servir como conscencialização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.

A luta das mulheres por melhores condições de vida e de dignidade é também a luta de todos os trabalhadores.

Faz valer os teus direitos!

SINDICALIZA-TE!  A UNIÃO FAZ A FORÇA!

SINTAF-Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira.

Avenida Almirantes Reis, n.º 74 G - 1150-020 Lisboa

Telefone +351 218124992

Correio eletrónico: sintaf@sintaf.pt